COMO A OBMEP MUDOU MINHA VIDA #3 – Igor Patrício Michels

Hoje, a pessoa que convidamos para o depoimento/entrevista foi o grande Igor Patrício. Se você ainda não conferiu os anteriores, confira a parte 1 com o Leonardo Lima e a parte 2 com o Arthur Mota.

O Igor contou um pouco de sua história na OBMEP, e claro, como ela conseguiu mudar a vida dele assim como de centenas de outras pessoas, confira:

 

Olá, meu nome é Igor Patrício Michels, moro em Braço do Norte, no sul de Santa Catarina e neste ano, 2017, estarei cursando o 2º ano do Ensino Médio. Com minhas participações na OBMEP eu pude conhecer novas pessoas e também consegui formar uma nova visão sobre a matemática.

Antes da OBMEP eu não tinha muita ideia sobre o que fazer no futuro. Eu era um aluno que não tinha nenhum problema com a matemática, gostava dela, e sempre me esforçava ao máximo para tirar boas notas em provas e trabalhos, tanto em matemática quanto nas demais matérias.

Conheci a OBMEP em 2012, no dia da prova, quando estava no sexto ano. Antes da prova o professor de matemática entrou na sala e falou que aplicariam a OBMEP, ele também falou que o campeão ganhava computador, tablet e também que ia receber a premiação no Rio de Janeiro. Falou que se alguém ganhasse ele queria ir junto receber o prêmio.

Na minha primeira OBMEP eu fiz a primeira fase e passei. Para ir para a segunda fase tive que primeiro convencer meus pais a deixarem, pois era sábado à tarde e eles queriam visitar alguns parentes. Consegui convencê-los e fiz a segunda fase, porém não estava esperando nada, pois deixei algumas questões em branco. Mas então no fim do ano veio uma surpresa. Recebi duas cartas do IMPA falando que tinha sido medalhista e que fui convidado a fazer o PIC. Fiz minha inscrição e participei, em 2013, do PIC.

No PIC conheci outras pessoas que, como eu, gostavam de matemática e aprendi várias coisas novas. Passei a ver a matemática com novos olhos e também aumentei em muito meu conhecimento em diversos assuntos.

Meus pais sempre me apoiaram, bem como minha irmã. Outras pessoas que sempre me apoiaram foram o pessoal da minha escola (professoras, diretores, alunos…) e meu professor do PIC.

No geral, a OBMEP me fez enxergar a matemática de outra forma, mas também me fez conhecer novas pessoas que se interessam pela matemática e que se ajudam a estudar, sendo propondo problemas, explicando alguma coisa ou até mesmo debatendo. A OBMEP também me proporcionou muitas oportunidades e também pude conhecer novos lugares, além de me mostrar novas opções para seguir após o Ensino Médio.

Para finalizar eu gostaria de falar que no início pode parecer complicado, mas com o passar do tempo você se acostuma. Vale a pena estudar para a OBMEP, ela abre muitas portas e te faz querer estudar cada vez mais matemática. Bem, a décima terceira edição da OBMEP está se aproximando, então estude bastante e boa sorte!

 

Na foto a família de Igor.

Loading Facebook Comments ...